... ...

Tá estressado ? Chalé, natureza e descanso.........Tá estressado ? Chalé, natureza e descanso...



Pescaria e Aventura

Rua 29-A No. 65 - Centro - Goiânia - GO Cep: 74.000.00 (62) 8417 - 9211 ( Luciano )


A Pescaria e Aventura vem ao longo dos anos se especializando no segmento de pesca esportiva e ecoturismo. A empresa além de possuir uma área exclusiva de nove milhões de metros quadrados, dispõe também de uma equipe experiente oferecendo aos seus clientes segurança, conforto e qualidade de pesca e diversão, além de plena integração à natureza.

....

Saída de Goiânia todas as segundas-feira e chegando no domingo. O pacote inclui transporte de ida e volta (opcional) , alimentação, guia, acomodações em chalés.




 

REGRAS PARA PESCAR & SOLTAR  

    Introduzida e dinamizada nos Estados Unidos por Lee Wulff a partir de  1940, a filosofia do "pesque & solte" (catch & release - pescar & libertar)   encontrou na pessoa de Rubinho Almeida Prado a sua principal fonte de defesa  e de propagação entre os pescadores brasileiros. Na base dessa filosofia   reside uma ética específica, tendo como valor fundamental a solidariedade  voltada a outros pescadores (que também poderão ter o prazer de lutar com os  peixes que foram soltos) e ao próprio peixe. Outrossim, há quem afirme que a  liberdade do peixe é capaz de espelhar para nós mesmos, pescadores, a   necessidade de sempre viver em liberdade. 

     Para além dos valores de natureza ética, estudos econômicos mostram que o   peixe esportivo "vivo" vale muito mais do que ele "morto". Ou seja: o   turismo da pesca é capaz de gerar mais divisas para um país na medida em que   movimenta estruturas mais complexas do que a de um simples frigorífico, que  geralmente retira sem repor e/ou sem tomar os devidos cuidados nas  quantidades de peixes sacrificados. 

    O pesque & solte, para ser levado à prática como forma de preservação das  espécies selvagens, necessita de conhecimento e aprendizagem. Em verdade,  respeito à Natureza, consciência de preservação ambiental e amor pelos  peixes (tomado como um parceiro imprescindível do esporte) dinamicamente se misturam para acionar a totalidade do processo. 

     As regras abaixo são genéricas, mas podem fazer com que todas espécies de  peixes tenham uma chance maior de sobrevivência - um fator capaz de ativar e  aquecer toda uma cadeia econômica em benefício ao nosso país. (Pedimos que o  leitor deste texto imprima e leve cópias para as suas pescarias a fim de  entregar a quem não sabe e precisa saber!).

 LOCAL DA FISGADA

- Seria ideal que todos os peixes fossem fisgados pelo beiço superior ou inferior, mas infelizmente isto nem sempre acontece. 

 Quando a pescaria é realizada com iscas artificiais pequenas ou iscas vivas, a chance de fisgar um peixe mais profundamente na  garganta ou nas guelras é muito alta. Nunca puxe a linha quando o anzol estiver na garganta do peixe. 

 Cortar a linha e devolver rapidamente o peixe à água aumentará a suas chances de sobrevivência. Quanto mais tempo o peixe ficar fora da água e  quanto mais você praticar as suas "técnicas cirúrgicas", MENOR a   probabilidade de sobrevivência do peixe. 

PROFUNDIDADE

- Quando pescar em profundidades acima de 30 pés, você deve  trazer o peixe devagar para o barco. Isto permite que o peixe faça a  descompressão (ajustar-se à mudança da pressão da água). Faça pausas quando   recolher o peixe e espere que as bolhas d'água, resultantes da descompressão   dos peixes, aflorem à superfície. Os peixes são adaptáveis como qualquer  pessoa. Se você puxar o peixe apressadamente, ele morrerá. 

 TEMPERATURA DA ÁGUA

- Lutar com um peixe por um longo período de tempo em águas mais quentes aumenta as suas probabilidades de morrer. Quando a   temperatura da água é alta o peixe se cansa mais rapidamente devido ao   aumento do ácido láctico que aparece no seu sistema. Quando pescar em águas  com temperatura alta, recolha o peixe o mais rapidamente que puder, use uma  linha mais grossa do que a usual ou  - então, se preferir - não pesque nesse  dia. 

 TESTE DA LINHA

- Use sempre a linha mais grossa possível para cada espécie  de peixe. Reiterando: quanto mais você lutar com um peixe, tanto mais ácido láctico será produzido; dessa forma, mais exaurido fica o peixe e maiores as  chances dele morrer. Isto é mais verdadeiro ainda para os grandes peixes de água salgada. 

  MAIS PROCEDIMENTOS E CUIDADOS

(1) Use anzóis sem farpa ou amasse a farpa com um alicate. Se você usar um  passaguá, prefira os de algodão. Ele machuca menos as escamas, as guelras e  os olhos do peixe. 

(2) Molhe as suas mãos quando for pegar no peixe. Mãos secas ou luvas  removem o muco protetor. Não arraste um peixe na areia e nem jogue-o por  cima da borda do barco. 

(3) Tente não retirar o peixe da água. Seja rápido e delicado. Não aperte   o peixe. Não segure o peixe perto das guelras. Alicates de bico longo podem   acelerar a retirada de um anzol fisgado com profundidade.

(4) Para reavivar o peixe, segure-o por baixo da barriga e mantenha-o na  posição horizontal dentro da água. (Esta é a hora exata para você tirar a  medida e a fotografia.) Se você estiver pescando num rio, segure o peixe  contrário à corrente. Seja paciente e dê ao peixe todo o tempo que ele  necessita para se recuperar e nadar por si mesmo com autonomia.

AUTORIZA-SE A REPUBLICAÇÃO DESTE TRABALHO DESDE FEITO O CRÉDITO à OBS.  FONTE:  www.pescarte.com.br